Navegar para Cima
Iniciar sessão
RAEGE

  raege_portugues.jpg

  

Em dezembro de 2008 deu-se início à cooperação entre a Direção Geral do Instituto Geográfico Nacional de Espanha (IGN), do Ministério do Fomento, e o Governo Regional dos Açores (GRA), através da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos (SRCTE), com a assinatura de um Protocolo com vista à implementação de uma Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas e Espaciais (RAEGE), destinada à realização de estudos na área de astronomia, geodesia, geofísica e das correspondentes aplicações de serviço público.  

Esta Rede prevê a instalação de duas Estações Geodésicas Fundamentais (EGF) nos Açores, uma na ilha de Santa Maria e outra na ilha das Flores, e de outras duas Estações em território espanhol.  

Para a gestão operacional destas estações está prevista a criação de dois Centros Base, um nos Açores e outro em Espanha. 

Os procedimentos e recursos necessários ao funcionamento e exploração da RAEGE têm em conta os seguintes pressupostos: 

1.      O projeto RAEGE deverá estar alinhado com as orientações do projeto mundial VLBI2010; 

2.      O projeto será elaborado por técnicos do IGN, sendo acompanhado e validado pelo GRA; 

3.      Na componente dos custos associados ao projeto, será tido em conta que o GRA é responsável por: 

    • Radiotelescópio, recetores, equipamentos e instalações necessárias para a EGF a ser instalada na ilha das Flores;
    • Infraestruturas e equipamentos de laboratório para a EGF na ilha de Santa Maria; 
    • Infraestruturas, instalações, equipamento de análise de dados e laboratórios de eletrónica, radiofrequência e oficina de mecânica para o Centro Base dos Açores;
    • Custos operacionais com pessoal e manutenção das EGF’s e do Centro Base dos Açores.

4.      Na análise de viabilidade, será tido em conta que o IGN investirá até quatro vezes mais que o GRA (recursos humanos, materiais e financeiros); 

5.      Na análise de viabilidade, será estudada a estrutura dos órgãos de gestão da RAEGE; 

6.      O resultado da análise do projeto será dado a conhecer ao Instituto Geográfico Português (IGP), do Governo da República.

  

Para mais informações: http://www.raege.net/


 

​